O devir outro dos guerreiros tupi: notas sobre uma defasagem cronocorporal implicada na relação matador- vítima entre os Araweté e os Tupinambá

  • Rafael Rocha Panisca

Resumo

A partir da interpretação do trabalho de Viveiros de Castro sobre a guerra tupi-guarani, este ensaio propõe comparar e analisar etnograficamente as relações estabelecidas entre o matador e sua vítima na guerra dos Araweté e dos Tupinambá, no intuito de apontar os aspectos estruturais implicados na dinâmica desses encontros bélicos. A análise dos aspectos estruturais apontados será realizada a partir do bem conhecido argumento de Lévi-Strauss a respeito da instabilidade das relações identitárias no pensamento ameríndio (História de Lince, 1991).
Publicado
2014-11-24