“Lá no meu reinado eu só como é mel”: dinâmica cosmológica entre os índios Atikum, PE

  • Nivaldo Aureliano Léo Neto
  • Rodrigo de Azeredo Grünewald

Resumo

Este trabalho se propõe a compreender certa dinâmica cosmológica entre os índios Atikum-Umã (Estado de Pernambuco). Para tanto, focaliza a importância das abelhas sem-ferrão na cosmologia do grupo e o uso ritual do mel nos torés. Embasado na ciência do concreto, demonstramos como os índios estabelecem os seus sistemas de classificação e de como estes repercutem no plano estrutural de sua cosmologia. Todavia, também consideramos de suma importância o embasamento em uma perspectiva gerativista, demonstrando, dessa forma, como as cosmologias são feitas na ação, uma vez que, a partir de mudanças ecológicas (o surgimento das abelhas-italianas – Apismellifera), na práxis os elementos sistemáticos foram ressignificados.Para finalizar, lançamos mão da hipótese da existência de um complexo simbólico que passamos a chamar de complexo do mel.
Publicado
2014-11-28