Entre brincadeiras e hostilidades: percepção, construção e vivência das regras de organização social entre as crianças indígenas galibi-marworno

  • Camila Guedes Codonho

Resumo

Este artigo pretende demonstrar, a partir de uma reflexão pautada no cruzamento teórico entre Antropologia da Infância e Etnologia Indígena, a maneira pela qual as crianças Galibi-Marworno (Amapá) percebeme vivenciam, em suas próprias experiências infantis, a organização social de seu grupo. Para tanto, enfatiza-se aqui o uso da concepção de “conhecimentos horizontalmente transmitidos”, ou seja, que circulam entre os grupos de crianças sem a intervenção direta das gerações adultas. Desta forma, pretende-se ressaltar a participação e protagonismo infantil diante dos constructos simbólicos de sua sociedade.
Publicado
2014-11-27
Seção
Artigos