Memória, historicidade e vínculos territoriais após quarenta anos da transferência dos Kaiabi para o Parque do Xingu

  • Frederico César Barbosa de Oliveira

Resumo

Este artigo apresenta uma análise fundada em bases fenomenológicas a respeito dos relacionamentos ecológicos e afetivos que os Kaiabi do Parque do Xingu estabelecem com a região do rio Teles Pires, no estado de Mato Grosso. Após quatro décadas de separação de seu ambiente ancestral, os Kaiabi (em especial os habitantes das aldeias Ilha Grande e Tuiararé) ainda encontram artifícios de memória, história oral e relações de parentesco para se sentirem próximos – ainda que distantes fisicamente – de seus parentes e do lugar que seus antepassados habitaram e que guarda boa parte dos acontecimentos míticos relevantes na criação de seu povo.
Publicado
2014-11-28