Convívio interétnico e alcoolismo entre os Bororo: resultados de uma pesquisa

  • Renate Brigitte Viertler

Resumo

Este relatório representa um sumário dos resultados de váriasetapas de investigação do consumo de bebida alcoólica entre os índiosBororo do Mato Grosso, Brasil, dividido em aspectos epidemiológicos,sanitários, socioculturais, elaborados a partir de dados coletados principalmentena comunidade do Meruri (Missões Salesianas), finalizandocom algumas indicações para eventuais abordagens do assunto.

Referências

AGUIAR, J. I.; SOUZA, J. O alcoolismo em população Terena no Estado do Mato Grosso do Sul – impacto da sociedade envolvente. Versão datilografada, [s.d.].

ALBISETTI, C.; VENTURELLI, A. J. Enciclopédia Bororo. Campo Grande: Museu Regional Dom Bosco, 1962 e 1969. V. I e II.

BALDUS, H. Ensaios de etnologia brasileira. São Paulo: Cia. Editora Nacional, 1937. V. 101.

BORDIGNON ENAWUREU, M. Os Bororo na história do Centro-Oeste brasileiro (1716-1986). Campo Grande: Missão Salesiana do Mato Grosso-MS / CIMI-MT, 1986.

_____. Roia e baile: mudança cultural bororo. Campo Grande: UCDB, 2001.

CROCKER, J. C. The social organization of the Eastern Bororo. PhD Thesis (não publicada). Harvard University, Cambridge, 1967.

_____. Marital discord and household dynamics among the Eastem Bororo, [s.d.]. A primeira versão apresentada durante 72d MEETING OF THE AMERICAN ANTHROPOLOGICAL ASSOCIATION, New Orleans, 1973 (versão mimeo).

_____. Why are the Bororo matrilineal? ACTES DU XLH CONGRÈS INTERNATIONAL DESAMERICANISTES, Paris 2-9 Septembre 1976, vol. II, Paris, 1977.

ELSTER, J. Sobre las Pasiones. Emoción, Adícción y Conducta Humana. Barcelona: Paidós, 2001.

FABIAN, S. M. Eastern Bororo Space-Time: Structure, Process and Knowledge among a native brazilian people, PhD Thesis,University of Illinois, 1987 (publicada sob o título Space-Time of the Bororo of Brazil, University Press of Florida, Gainesville, 1992).

GROSS, D. Ecology and acculturation among native peoples of Central Brazil.

SCIENCE, v. 206, 1979.

HALLOWELL, I. Culture and Experience. Philadelphia: University of Pennsylvania Press, 1955.

LEVAK, Z. Older-younger brothers relationship among the Bororo. Versão datilografada, [s.d.].

_____. System Kinship and Social Structure of the Bororo of Pobojari. PhD thesis (não publicada), Yale University, 1971.

LÉVI-STRAUSS, C. Contribution à l’étude de l’organisation sociale des indiens Bororo. Journal de La Societé Desamericanistes, 28, Paris, 1936.

MAZZIEIRO, J. B. Alcoolismo e trabalho – vozes dos criminólogos (São Paulo e Rio de Janeiro, 1880/1920). Revista de História, São Paulo, FFCH-USP, 1999.

MIS SIONARI SALESIANI D. Balzola fra gli indi del Brasile Matto Grosso. Note autobiografiche e testimonianze raccolte da D. A Cojazzi, Società Editrice Internazionale, Torino, [s.d.].

MISSÕES Salesianas em Matto Grosso. Typographia d’A União. Rio de Janeiro, 1912.

NOVAES, S. C. Homens e mulheres, heróis. Dinâmica e permanência através do cotidiano da vida bororo, Série Antropologia 8, FFLCH-USP, São Paulo, 1986.

_____. Jogo de espelhos: imagem da representação de si através dos outros. São Paulo: EDUSP, 1993.

OCHOA CAMARGO, G. (org.) Meruri na visão de um ancião Bororo. Memórias de Frederico Coqueiro. Campo Grande: UCDB, 2001.

QUILES, M. I. Mansidão de fogo. Aspectos do comportamento alcoólico entre os Bororo. Seminário sobre alcoolismo e vulnerabilidade às DST/AIDS entre povos indígenas.

Londrina, 1999.

_____. Um estudo etnopsicológico do comportamento alcoólico entre os índios Bororo do Meruri (Mato Grosso). Cuiabá, 2000. Tese de Mestrado. UFMT / Instituto de Saúde Coletiva.

SAAKE, G. A aculturação dos Bororo do Rio São Lourenço. Revista de Antropologia, vol. 1, n. 1, São Paulo, 1953.

SOUZA, M. de. Os boróros tori-tadaugue, seus hábitos e suas doenças. A ginecologia e a obstetrícia dos boróro. O bári, o médico-feiticeiro dos boróros. O aborto e a limitação da prole entre os boróros. Actas Ciba, ano VII, 12, Rio de Janeiro, 1941.

V1ERTLER, R. B. A duras penas. Um histórico das relações entre índios Bororo e “civilizados” no Mato Grosso. Série Antropologia 16, FFLCH-USP, São Paulo, 1990.

_____. Boe, concept et réalités de l’échange chez les indiens Bororo. Lévêque, P., Dabdab Trabulsi, J.A. e Carvalho, S. (orgs.) Recherches Brésiliennes, Annales Littéraires de l’Université de Besançon, Paris, 1994.

_____. Idéias sobre as doenças entre os índios Bororo de Mato Grosso: elementos para uma Antropologia da Saúde”. Pina de Barros, E. (org.). Estudos de Antropologia da doença entre Bororo e os Kura-Bakairi. Série Ensaios Antropológicos, 5, EdUFMT, Cuiabá, 1997.

_____. Alcoolismo entre os Bororo.Canesqui, A. M. (org.). Ciências Sociais e Saúde para o Ensino Médio, HUCITEC/FAPESP, São Paulo, 2000.

VON DEN STEIINEN, K. Entre os aborígenes do Brasil Central, Separata da Revista do Arquivo Municipal, nos XXXIV a LVIII, Departamento de Cultura, São Paulo, 1940.

Relatórios

ENCONTRO de Estudo sobre a Etnia Bororo, Instituto Trópicos/DSEI, Cuiabá, Rondonópolis, 2001 (la versão transcrita por LEITE, A.)

ORGANIZAÇÃO Mundial de Saúde (OMS) – Alcohol abuse/dependence, Interview Guide for Evaluating DMS-IV Psychiatric Disorders and the Mental Status Examination, Psych Press Products, Philadelphia, 1994.

PINA BORGES, A. P. Relatório sobre os resultados de pesquisa realizada em 2001 entre os Bororo do Meruri, 2001.

CABRAL, L. F. M, (org.). Relatório Técnico – Atenção primária à saúde dos índios da área de abrangência do convênio 349/99, no ano 2000 (versão 1).

UMAKI, A. C. S.; MOLIN, A. Levantamento sorológico para Brucella na aldeia Meruri, Mato Grosso. Relatório de Pesquisa para o Bacharelado em Biologia, UCDB, 1999.

Publicado
2014-11-18
Seção
Artigos